(88) 9 9803-4666

NO AR

BOM DIA TABAJARA

Com Jr Chocolate

Brasil

MEC volta atrás sobre retorno das aulas presenciais em janeiro, após repercussão negativa

MEC volta atrás sobre retorno das aulas presenciais em janeiro, após repercussão negativa

Publicada em 02/12/20 às 18:41h

por Diário do Nordeste


Compartilhe
 

Link da Notícia:

Após a repercussão negativa da portaria determinando que instituições federais de ensino superior retomem as aulas presenciais, a partir de 4 de janeiro de 2021, o ministro da Educação, Milton Ribeiro anunciou, nesta quarta-feira (2), que irá revogar o documento.

Em entrevista à CNN, o ministro disse que irá fazer uma consulta pública como o mundo acadêmico para tomar uma nova decisão.

"A sociedade está preocupada, quero ser sensível ao sentimento da população", afirmou.
Segundo Ribeiro, antes de publicar a portaria 1.030/2020, o Ministério da Educação (MEC) consultou mantenedores de universidades e achou que não haveria tanta resistência.

O ministério somente vai liberar o retorno às aulas presencias quando as instituições manifestarem estar preparadas para a retomada.

 Aulas remotas em instituições federais poderão ocorrer por decisão de autoridades locais
Aulas em 2021
A portaria publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (2) determinava que instituições federais de ensino superior voltassem às aulas presenciais em 2021 com a adoção de um protocolo de biossegurança para prevenir a propagação do novo coronavírus.

Entre as medidas do protocolo estão o estímulo do uso e descarte correto de mâscaras, o incentivo a implementação de medidas de prevenção e o estímulo a manutenção de um ambiente seguro e saudável. 

O documento estabelecia ainda a adoção de recursos educacionais digitais, tecnologias de informação e comunicação ou outros meios convencionais, que deverão ser “utilizados de forma complementar, em caráter excepcional, para integralização da carga horária das atividades pedagógicas”.

Diretrizes Nacionais Curriculares
O texto da portaria diz, também, que as “práticas profissionais de estágios ou as que exijam laboratórios especializados, a aplicação da excepcionalidade”, devem obedecer as Diretrizes Nacionais Curriculares aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), “ficando vedada a aplicação da excepcionalidade aos cursos que não estejam disciplinados pelo CNE”.

O documento estabelece, que, especificamente, para o curso de medicina, "fica autorizada a excepcionalidade apenas às disciplinas teórico-cognitivas do primeiro ao quarto ano do curso, conforme disciplinado pelo CNE".

Aulas remotas por decisão de autoridades locais
Apesar da obrigação, a portaria estabecia que o uso de "recursos educacionais digitais, tecnologias de informação e comunicação ou outros meios convencionais deverão ser utilizados de forma complementar, em caráter excepcional". 

Contudo, a texto permite que as medidas que possibilitem aulas remotas sejam tomadas integralmente no caso das autoridades locais determinarem a suspensão das aulas presenciais.



Enquete

Nenhum registro encontrado








LIGUE E PARTICIPE

88 36262266

Visitas: 196792
Usuários Online: 52
Copyright (c) 2022 - Rádio Tabajara FM